Farinha do mesmo saco…

“Vivemos na mesma rua”… as vezes ficamos com uma música na cabeça o dia todo… hoje, foi a música do Renato Teixeira, enquanto Ana e eu pensavamos na Argentina e suas pessoas…

Vira e mexe somos bombardeados por mensagens midiáticas, estimulando nosso ódio pelos argentinos… Freud, em seu livro Mal estar da civilização fala, que é mais fácil amar ao próximo quando temos o distante para odiar…  nós corintianos nos reforçamos a medida que odiamos os palmeirenses…

Chegamos em Buenos Aires após uma espera prolongada no avião… aquela correria pra chegar no balcão de embarque… aquele povo doido querendo entrar no avião igual as pessoas que entram no trem na luz… não são diferentes… são pessoas apressadas… sem ligar pra quem está ao lado… buscando um banco pra sentar, sem perceber que estamos no mesmo trem… sentados ou em pé… só existe o prazer de estar sentado quando comparado a quem está de pé… se o trem está vazio não há prazer algum em sentar… A mesma lógica do capitalismo… o prazer da riqueza só é sentido quando pensado em relação à pobreza.

La Casa Rosada

Após montarmos as bikes no aeroporto e comer um big-mac, passamos no carrefour, pegamos um ônibus e no centro pedalamos um pouco… vendo as mesmas lojas… as mesmas pessoas… apenas falando outra língua… farinha do mesmo saco… vivemos na mesma rua…

pra não dizer que não falei das flores

Tomamos uma Quilmes gelada… encontramos vários brasileiros…  e sem perceber estavamos na Praça de Maio… em frente a Casa Rosada… pensamos na ditadura argentina (1976-1983)… nos 30 mil desaparecidos políticos, sequestrados pelo governo militar…. torturados e mortos… pensamos nas Mães da praça de maio… e nas abuelas que hoje lutam para identificar seus netos, sequestrados pelo regime, retirados dos pais militantes e entregues para famílias conservadoras… mais de 102 pessoas já foram identificadas pelas abuelas como descendentes de seus filhos e filhas desaparecidos…. a estimativa é que cerca de 500 crianças foram sequestradas…

em la plaza

A TAM nos cobrou por excesso de bagagem… 18 quilos a mais que os 23 que cada um tinha… estamos no hotel…  está calor…

Anúncios

3 respostas em “Farinha do mesmo saco…

  1. Lemos seu recado, ficamos felizes por chegarem bem, aquí está tudo em paz. Aproveite bastante o passeio,fiquem com Deus,e mandem notícias.

  2. Vi seu blog na comunidade do Cicloturismo, Achei muito apropriada a frase que vc postou, que é mais fácil amar o próximo quando temos o distante para odiar. Certamente os posts que lerei agora serão muito agradáveis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s