Lugares sem carros

Hoje foi 25 de novembro, Dia Internacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher. Nessa viagem levei alguns laços da Campanha do Laço Branco: homens pelo fim da violência contra a mulher, em cada local que passávamos, procurei deixar um, pendurado em algum lugar decorativo.

Tiramos o dia de folga, acordamos tarde e fomos tomar café, na companhia de Denise e Carioca, os donos da pensão. Perguntamos ao Carioca, como bom pescador que era, qual seria a previsão do tempo para hoje. Ficamos esperando um olhar sábio para o céu, mas, Carioca pegou seu notebook e disse a previsão era da chuva continuar. Nos disse que antigamente eles conseguiam prever o tempo, mas hoje, o tempo muda mais rapidamente e de uma hora pra outra.

Pousada aconchegante...

Pousada aconchegante…

Após o café colocamos nossas capas de chuva e saímos para dar uma volta pelo vilarejo, apesar do vento forte tiramos algumas fotos dos barcos balançando ao sabor do vento sul. Em um barco próximo um homem buscava esvaziar com um balde a água que insistia em entrar.

Um dia de chuva...

Um dia de chuva…

Na Ilha de Superagui também não entra carro, um alívio pra nós, um silêncio. Em nosso passeio vimos 3 meninos brincando na areia, cada um com seu barquinho, nas ondas da areia, falando sobre vento e camarão. Carro aqui, nem de brinquedo…

Do orelhão ligamos para Maria e Amauri, pais da Aninha, para matar a saudades, compramos água no mercadinho.

Matando saudades...

Matando saudades…

Fizemos o almoço e ficamos ouvindo pela TV as músicas de nosso pendrive, mais tarde saímos para andar mais um pouco.

Estávamos em dúvida sobre o dia de amanhã, nosso plano era ir até Guaraqueçaba, passando pela Ilha das Peças, e dar uma grande volta pela baia de Paranaguá, como sugere o roteiro da Rafa e do Olinto, mas todos nos diziam que não valia a pena, a estrada era uma das piores da viagem. Outra opção era ir de barco até a Ilha das Peças, pedalar 10 quilômetros e pegar um barco até Paranaguá, que demoraria 3 horas para chegar lá. Essa ideia de ficar 3 horas em um barco não nos atraia. Por fim resolvemos ir dali direto para a Ilha do Mel, com a voadeira do Carioca.

2012-11-25_12-32-15_125

 

Dia 04: 25/11/12 – Domingo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s