17º dia de viagem

De Púcon à Licanray

Saímos do Pucón depois de 4 dias, acabamos atrasando um pouco a viagem, mas valeu pela diversidade de experiências, deixamos a bela cidade pra trás e seguimos em frente, era bom estar pedalando de novo, em nosso planejamento o objetivo era ir de Pucon a Villarica e de lá até Panguipuli, mas como já havíamos subido o Vulcão resolvemos pular a cidade de Villarica e ir até Licanray, mas no caminho resolvemos tentar um atalho fora da estrada principal, para sair do meio dos carros e acabamos pegando umas estradinhas de rípio.

Do rípio já falamos, parece ser assim, eles tem muita pedra no Chile, então nas estradas de terra eles passam com um caminhão e despejam pedras, não sei se para os carros é bom, talvez no inverno, com tudo cheio neve, mas para nós de bike é um sofrimento. Temos que ir devagar, prestando atenção em cada pedra, desviando, por várias vezes derrapamos e quase caímos.

Fomos tentando achar o caminho e acabamos fazendo algumas idas e vindas, voltamos pra pista chegando em Licanray cansadxs e estressadxs, acabamos pedalando 61 km, numa velocidade média de 9,5 km/h, demorando 6h28.

Fomos em direção a praia, encontramos um hotel que tinha um javali empalhado na entrada, entramos pensando em comer, mas o cozinheiro só chegava de noite, perguntamos se podíamos ficar por ali na internet até o cozinheiro chegar, achamos o preço caro para ficar hospedados, mas aproveitamos o Wifi.

Praia de Lican Ray

Praia de Licanray

Uma praia bonita, demos uma volta vendo as pessoas curtindo o lago.

DSC_1048

As informações que tínhamos era de um Camping na entrada da cidade, mas conversando com um atendente, ele nos disse que havia um Camping bem próximo dali, isso nos animou, o cozinheiro chegou e acabamos finalmente jantando.

Anoitecia

Anoitecia

Pedalamos procurando o local, chegamos na praia grande e não achamos, perguntamos para uma moçadinha que passava, um dos meninos correu até a praia atrás de um homem que passava correndo, ele veio e nos orientou a voltar que já havíamos passado por ele. Voltamos e achamos o local, um Camping de uma comunidade religiosa, a moça que nos atendeu disse que era só para os fieis da comunidade, mas que abria uma exceção para nós (infiéis), falou que a água quente já estava desligada, mas ligava para nós (infiéis), mas nos deu um preço tão alto que nos arrependemos de não ficar no hotel. Foi o Camping mais caro da viagem, ficamos logo na entrada do Camping, na primeira área, tomamos banho quente e fomos dormir na maior ventania.

Anúncios

Uma resposta em “17º dia de viagem

  1. Pingback: Sobre Lagos e Montanhas: pedal pela Patagônia entre Argentina e Chile | Ciclos, Letras e Quintais…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s