Até de baixo d`água!

Enquanto arrumávamos nossas malas pra partir, recebemos visita.

DSC_1073

Ela brasileira, ele chileno, estão dividindo a vida entre lá e cá e querendo estabelecer um restaurante em Los Lagos, vieram conhecer @s brasileir@s que estavam passando por ali.

Partimos em direção à Futrono/ Baía Coique, teríamos uma subidinha pela frente mas a quilometragem seria curta. Este foi o dia de paisagem mais monótona, coisa rara nessa viagem. Não tinha nada de interessante pra ver era só pedalar e pedalar mesmo, num retão danado. No início da manhã ainda tínhamos bastante frescor, mas com a passagem das horas o dia esquentou bastante, nada que um pontinho de ônibus mais que demais não pudesse resolver.

Sombra para o primeiro lanche do dia!

Sombra para o primeiro lanche do dia!

É retão que não acabava mais...

É retão que não acabava mais…

Perto do meio dia o sol já estava quente.

Perto do meio dia o sol já estava quente.

Mais um dia de almoço no ponto de ônibus!

Mais um dia de almoço no ponto de ônibus!

Felizmente, chegando ao destino, tudo ficou lindo de novo. Fomos nos aproximando do lago que o sábado tinha deixado cheio de gente. Chegamos na entrada do camping e NÃO TINHA VAGAS!!! Como assim não tem vaga no camping???? Ah esses brasileir@s mal acostumados e mal criados!!! Não ter vaga em camping é algo inadmissível pra mim… a primeira argumentação básica é sempre o “mas estamos de bicicleta”! E o que as pessoas podem fazer se nós é que tomamos essa decisão???

Enfim, a choradeira comoveu… e afinal descobrimos o que significava o “não ter vagas”. É que o magnífico camping disponibilizava um banheiro PARTICULAR pra cada grupo… isso mesmo. No camping tínhamos a chave do nosso próprio banheiro, e nada pode ser mais luxuoso que um banheiro próprio no camping… rsrs. Nos ajeitaram numa parcela menor que a dos demais, que não caberia um carro, mas tudo bem! Afinal, estávamos de bicicleta!

Nos arrumamos rapidinho no local e fomos praiar! Eita delícia que estava aquele lago gelado! Deu até dar um tibum com categoria, só não dava pra ficar muito na água pra não correr o risco de congelar… mas era só ficar um pouquinho no sol que tudo se resolvia de novo.

Vamos a la playa!

Vamos a la playa!

Ah! O verão!

Ah! O verão!

DSC_1086

DSC_1085

Sorriso gelado!

Sorriso gelado!

Que relaxante que é entrar na água gelada. Que delícia de pernoite tivemos neste local…

DSC_1089

Dia 20 – De Los Lagos a Baia Coique – 15/02/14 (Sábado)

Pedal:

Distância – 54 Km

Velocidade Média – 11,6 Km/h

Velocidade Máxima – 37,1 Km/h

Tempo – 4 h 38 min

Total – 631,7 Km

La Pastera – Museo del Che

Que gostozinho que é San Martin! E que vontade de morar por aqui… tudo parece tão tranquilo… cidade planejada (com ruas nos moldes do jogo da velha), plana, casas decoradas com jardins, sem muros, térreas. O lago e a montanha, como num eterno namorar.

Garoava e fazia frio. Ficamos a manhã toda descansando “em casa”, vendo a cidade passar pela janela sem tanta lata a lhe esconder. Passavam grupos enormes de crianças indo pra escola à pé, fazendo das ruas uma sala de aula.

#partiufriaca

#partiufriaca

Tínhamos planejado visitar um museo em homenagem a um viajante mais famoso do que nós, que por ali também esteve de passagem: Ernesto Guevara, o famoso Che. Primeiro aproveitamos uma bicicletaria ao lado do hotel pra facilitar a vida do Flávio, que estava com um cabo das marchas passado atravessado. Mas as 14h o local estava fechado. Aliás tudo na cidade estava fechado! Eles fazem a “ciesta”! Já pensou? Uma cidade inteira parar pra tirar um cochilo à tarde? É mesmo uma delicinha…

DSC_0799

Lago Lacar

Então, mesmo debaixo da friaca, seguimos caminhando pela cidade e fomos dar uma olhadela no lago, até os argentinos acordarem.

Em outro museu, conhecendo um pouco mais do triste extermínio dos povos originários por essas bandas…

DSC_0792

 A ocupação do território patagônico:

A ação militar denominada Campanha do Deserto (1879) se baseou na contraposição entre civilização e barbárie.

Os bárbaros deveriam ser vencidos pelo progresso, entendido pelo fuzil Remington e o telégrafo, fatores decisivos na conquista.

… submeter enquanto antes, pela razão e pela força, um punhado de selvagens……ocupar definitivamente os territórios mais ricos e férteis da República. Nicolás Avellaneda. Presidente da Nação Argentina. (14/08/1878)

No ano 1898 chega ao vale do lago Lácar a Divisão dos Andes, comandada pelo coronel Celestino Pérez. Em 04 de fevereiro desse ano se funda o povoado de San Martin de Los Andes.

(Livre tradução)

Após a espera retornamos ao museu La Pastera. Passava um filme sobre a vida do Che, que assistimos todo, pra depois conhecermos o pequeno espaço destinado à sua memória.

Exibição de filme sobre a história de Che.

Exibição de filme sobre a história de Che.

DSC_0810

Site do Museo: http://www.lapastera.org.ar/index.php?lang=pt_br

Por onde ficaram os rapazes.

Por onde ficaram os rapazes.

Aos princípios de 1952 Guevara e Granado chegaram com fome e cansados na sua motocicleta em San Martín de los Andes.

O intendente do Parque Nacional Lanín lhes ofereceu hospedagem em um galpão destinado a guardar a grama para os animais. Em “La Pastera” encontraram casa e comida graças à generosidade dos trabalhadores do Parque, em particular, do sereno dom Pedro Olate quem os agasalhou com um asado. Após vários dias de percorrer a zona reiniciaram a viagem com destino Bariloche.

(Fonte: http://www.lapastera.org.ar/spip.php?article3)

La Poderosa: réplica utilizada no filme "Diários de Motocicleta"

La Poderosa: réplica utilizada no filme “Diários de Motocicleta”

O pequeno guardador de sonhos.

O pequeno guardador de sonhos.

Após a visita, retornamos ao hotel pra nos prepararmos pra pedalada do dia seguinte.

Dia 08 San Martin de Los Andes: Visita ao Museu La Pastera

03/02/14 (segunda-feira)